Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

O caminho...

Aproximamo-nos a passos largos para um dos momentos mais importantes da sociedade Açoriano. Refiro-me às eleições legislativas regionais. Um momento que irá apontar o rumo dos Açores para os próximos 4 anos, ao qual acresce a difícil tarefa de ultrapassar a crise provocada pela atual pandemia. Pandemia essa que deixou bem claro a importância de termos um Governo próprio, o que, por si só deveria ser motivo para incentivar os eleitores a alterar os elevadíssimos valores da abstenção.Vamos ter uma campanha política diferente, sobretudo devido à COVID-19, uma campanha que vai ter que se reinventar. Para além do foco no combate à grave crise económica, decorrente do impacto global do novo coronavírus, um dos temas em destaque será de certeza o novo paradigma ecológico e ambiental. Seria de esperar que fosse o maior partido da oposição a apresentar serviço, uma vez que inicia a corrida em desvantagem, mas não, foi o PS o primeiro a exibir as suas listas, no passado dia 11, e a dar o mote p…
Mensagens recentes

Deambulações do dia-a-dia (sociais e políticas) – III

1 - Aristóteles dizia que se não soubéssemos todos os elementos de um assunto não poderíamos ter uma opinião. Hoje, basta um elemento difuso que se “viu na Net” ou se ouviu em conversas de café. Conheço pessoas sem o mínimo conhecimento de economia que têm opiniões firmes sobre a origem da crise. Conheço pessoas sem o mínimo de conhecimento em saúde que têm opiniões firmes no combate à COVID-19 “Isto era muito simples. Fazia-se assim...” 
2 – À data que escrevo (7 de junho 2020) os Açores não tem novos casos de COVID-19 há 20 dias e a ilha do Faial há 70 dias. Um número redondo digno de assinalar. Estão de parabéns todos os Açorianos, a Autoridade de Saúde Regional, o Governo Regional e todos os profissionais de saúde envolvidos. 
3– Para comemorar também uma data importante, o dia em que os Açores ficaram sem nenhum caso ativo, o partido que está no poder na Região elaborou um cartaz que levantou alguma celeuma em certos sectores, leia-se, aficionados dos partidos da oposição. A indig…

Confinamento e Desconfinamento

No anterior artigo, referi que compreendi a antecipação e o excesso do zelo das autoridades de saúde nos Açores. Foi importante devido à nossa realidade arquipelágica e a dificuldade em ter uma resposta adequada espalhada por 9 ilhas, mas temos que aprender a viver nesta nova realidade, adaptando à nossa especificidade.

Fez-se um bom trabalho na contenção da pandemia. Os números não enganam. À data que escrevo temos sete ilhas sem casos ativos de COVID-19, restando apenas o Pico (1 caso) e São Miguel (8 casos). Nenhum caso necessita de internamento hospitalar e nenhum utente de lar de idosos está infetado. 

“Pensar é difícil, é por isso que as pessoas preferem julgar”

À data que escrevo, passaram-se 70 dias deste o primeiro caso confirmado com COVID-19 em Portugal e 57 dias do primeiro caso nos Açores. Ainda vai ser preciso muito mais tempo para melhor compreender o vírus e ter as ferramentas apropriadas para o combater, como também para ultrapassar todos os seus efeitos nas nossas vidas e na economia.
Foi evidente que nenhum país estava devidamente preparado para esta pandemia. E prova disso foi a dificuldade inicial em lidar com o problema e os obstáculos com que todos se depararam na aquisição de máscaras e de ventiladores.
Em Portugal podemos afirmar que este primeiro embate correu bem melhor do que o esperado, tendo em conta o que era projetado e os relatos que vinham dos nossos vizinhos europeus. O facto de termos antecipado medidas restritivas, quando comparando com outros países, e as mesmas terem sido acatadas pela população, bem como, termos tido a capacidade de realizar testes em massa, são fatores que aparentemente contribuíram para ta…

O combate ao vírus SARS-CoV-2

Quando abri o email a recordar-me que esta semana escrevia um artigo para o jornal, a minha primeira reação foi “agora não tenho tempo para isto”, já pela madrugada, decidi escrever este pequeno desabafo em forma de pedido. 
Trabalho no Hospital da Horta e no âmbito das minhas funções, tenho estado envolvido com um grupo de excelentes profissionais, na preparação do combate à pandemia do COVID-19. Tenho por regra evitar escrever sobre o meu local do trabalho, faço hoje uma exceção para dizer o seguinte: 
Os profissionais de saúde, todos eles, são as forças especiais na linha da frente desta guerra.

Atrás deles, num papel fundamental, estão todos os outros profissionais do hospital que permitem que tudo continue a funcionar. 
Toda a população conta com o nosso esforço, abnegação e sentido de responsabilidade para esta batalha. 
Estou certo que vamos todos fazer o nosso melhor, mas a tarefa é difícil e será necessário união e espírito de sacrifício, bem como o precioso e fundamental c…

Saúde e emprego com melhores salários

Ter saúde, um emprego e/ou melhor salário, são provavelmente as coisas mais desejadas pela maioria dos portugueses. São por isso dos temas mais falados por políticos e comunicação social. 
Torna-se assim importante que, quem tem responsabilidades perante os cidadãos, para além da importância de apontar o que está mal, também saiba contextualizar e de preferência apresentar sugestões. 
Veja-se por exemplo o tempo de espera para cirurgia nos Açores. É um facto indesmentível que muitas vezes se espera mais do que seria espectável e desejável. Algo que deve ser referido e melhorado, mas para além disso, importa perceber o que está subjacente e se estamos a progredir ou não, no sentido de melhorar a situação de prestar mais e melhores cuidados à crescente procura da população. 
Senão vejamos: 
Mesmo com as dificuldades da nossa realidade arquipelágica, a Região fechou 2019 com 5250 profissionais no Serviço Regional de Saúde (SRS), o que corresponde a mais cerca de 180, do que no final de …

Temas e desafios para 2020

O início de um novo ano é um momento importante para fazer reflexões sobre como foi o anterior e ponderar sobre o ano que está a começar. Pretendo explanar alguns dos principais temas para os Açores em 2020, dos quais, três são incontornáveis em qualquer análise. Refiro-me às eleições legislativas regionais; à mobilidade aérea centrada na SATA e na sua situação financeira, bem como a atuação do novo CA na restruturação da empresa; e a aprovação na República da legislação para a gestão do mar dos Açores, com a possibilidade de transferência de competências para a Região. 
Vou centrar-me nas eleições regionais, deixando o restante para próximos artigos.  De quem governa, como é normal, espera-se que canalize esforços para apresentação dos dados positivos da sua governação, a finalização de obras e aprovação de medidas ao encontro do eleitorado, tentando que temas com maior desgaste possam ter novos desenvolvimentos ou que arrefeçam, como é o exemplo da mobilidade dos açorianos dependent…

“Quando o dedo aponta para a lua, os palermas apontam para o dedo”

2019 ficará na memória como o ano em que a crise climática passou de assunto secundário para o tema principal na agenda mundial, e ninguém fez mais por isso que Greta Thunberg. Goste-se ou não, a verdade é que mudanças significativas raramente acontecem sem a força de galvanização de personalidades influentes, e a crise climática encontrou a sua com Greta.  A jovem ativista, desde que em agosto de 2018 começou a Greve pelo Clima, acampando em frente do Parlamento Sueco, já "falou com chefes de Estado na ONU, reuniu-se com o Papa, discutiu com o Presidente dos Estados Unidos e inspirou 4 milhões de pessoas a unirem-se à greve climática global, a 20 de setembro de 2019, na maior demonstração climática da história da humanidade." (Time)  As suas ações tem repercussões em todo o mundo, sobretudo nas novas gerações. As suas palavras passaram a ser notícia.  A ativista sueca, com síndrome de Asperger, é claramente uma das maiores e mais influentes vozes na defesa pelo ambiente e t…

Deambulações do dia-a-dia (sociais e políticas) - II

1 - Ao fazer uma pesquisa sobre os dados da emigração em Portugal, dei conta de um dado curioso. Em 1966, no tempo de António Salazar, a emigração atingiu o valor de 120.239 pessoas. Em 2014, já perto do final do mandato de Passos Coelho, 134.624 pessoas saíram do país para o estrangeiro, o valor mais alto registado. O dado mais recente reporta a 2018, também já perto do final do 1º mandato de António Costa, com 81.754 pessoas emigradas. 
2 - Politicamente falando, ainda não se viu nada de concreto do Livre a não ser um excessivo agitar de águas e o foco nas questões associadas à sua deputada. Se no início agrega um nicho de eleitorado, ao continuar assim, acabará por potenciar o crescimento dos radicalismos no extremo oposto. 
Ideologias de parte, admiro a coragem e o à vontade da deputada do Livre com a sua gaguez, algo que não é comum ver, sobretudo na política e na TV. 
É perfeitamente normal que em determinadas situações a gaguez seja muito acentuada, provavelmente associada a mai…

O Rei vai nu

O resultado das Legislativas foi aquilo que se previa. Já todas as análises foram feitas e em relação às mesmas, apenas saliento que, numa democracia representativa parlamentar, o relevante é o número de deputados eleitos e a maioria que daí advém. Assim, constatamos que face às últimas eleições, o PS ganhou +20 deputados e o PAN +3. O PSD perdeu 12, o CDS perdeu 13, a CDU perdeu 5 e o BE manteve o mesmo número. Faltam nestas contas os 3 novos deputados do IL, Livre e Chega, que não estavam representados anteriormente, bem como os 4 deputados a eleger pelos emigrantes. Destaque também para a abstenção, sobre a qual já escrevi no artigo anterior, e o facto de o PS ter mais deputados (106) que toda a direita (PSD, CDS, IL e Chega com 84). 
Se o partido que formaria governo já era há muito conhecido, o mais importante será perceber que tipo de apoio parlamentar dai advém. Sendo essa ainda uma incógnita, vou cingir-me, por agora, a 2 outros aspetos que achei relevantes: 
1 - O discurso de…